segunda-feira, 6 de abril de 2009

HUMOR: Porque é que o preservativo é ineficaz no combate à SIDA?

(Um texto meu, do último Inimigo Público)

O painel de conselheiros cultos do Inimigo Público, que também aconselha o Papa, explica que o embuste do preservativo não passa uma análise atenta à luz da ciência.

Principio de incerteza de Heisenberg
Os vírus são simultaneamente uma onda e uma partícula e há um limite de precisão para determinar a sua velocidade e posição. Ou seja, nunca sabemos muito bem onde estão, ou se sabemos não sabemos para onde vão. Nesta condições, quem garante que os vírus não contornam o preservativo e voltam para trás pelo lado exterior?

Selecção Natural
Os preservativos estão simplesmente a exercer uma pressão evolutiva sobre a população de vírus. Ou seja, estão a seleccionar a descendência dos vírus com uma pequena mutação que lhe permita atravessar o preservativo. É como o desenvolvimento da resistência a antibióticos.

2ª Lei da Termodinâmica
É entropicamente mais favorável ter os vírus espalhados por locais indeterminados, do que confinados dentro de um preservativo. A tendência espontânea dos vírus é encontrarem-se num estado desorganizado. É um pouco como a sua roupa interior usada, para a qual existem muito mais maneiras de estar espalhada pela casa do que arrumada dentro do cesto da roupa suja.

Teoria do caos
Alterações muito pequenas no momento em que se compra o preservativo podem ter consequências radicalmente diferentes no futuro. Mesmo ficando eventualmente a salvo do HIV, poderá provocar um tornado de proporções gigantescas ou um acidente em cadeia envolvendo centenas de camiões cisterna.

1 comentário:

travellersoul disse...

A 2a lei da termodinamica convenceu-me!